MENU
media

Existem indicações básicas que já estão claras na cabeça de quem busca um estilo de vida mais sustentável: Fazer exercícios, ter uma alimentação balanceada, não extrapolar -  para mais ou para menos – o peso  e ingerir ingredientes saudáveis. Esses referenciais ajudam a ter uma ideia de condutas a serem seguidas para equilibrar a saúde e evitar problemas, como o diabetes. Tais consensos, é claro, não devem ser tomados como regras e, acima de tudo, suas aplicações dependem das individualidades de cada organismo. Entretanto, uma vez que consultados os especialistas e feito um plano especifico para suas necessidades, são ótimos meios de promover o bem-estar e controlar a glicemia. Entenda melhor, a seguir, a funcionalidade de alguns métodos nesse sentido.

‘ Os valores obtidos pelo IMC devem ser analisados por um profissional, mesmo que se enquadre na classificação de “peso normal” ’
‘IMC = peso/ altura x altura’

Exercícios físicos

Além de ser uma prática extremamente prazerosa, eles previnem diversas complicações cardiovasculares e atuam na perda de peso. A rotina de exercícios pode melhorar a respiração, diminuir as chances de acidente vascular cerebral (AVC) e câncer, combater a pressão alta, é claro, fortalecer os músculos. Não está convencido dos motivos para acabar com o sedentarismo? Bom, movimentar-se também pode evitar o risco de diabetes, já que serve para controlar um dos maiores fatores de risco para o tipo 2: a obesidade. No caso de quem já possui a patologia,a s atividades físicas também são importantes. “Quando feita de forma regular, traz benefícios a curto, médio e longo prazo, como a diminuição de glicose no sangue e o aumento à resposta da insulina”, explica a nutricionista Luciana Novaes.

Controlar o peso

Em geral, possuir um índice de massa corporal (IMC) abaixo ou acima do ideal ( entre de 18,5 e 24,9 kg/m² ) pode ser prejudicial para a saúde. Abaixo do valor menos que o referencial pode indicar desnutrição, causar fadiga e estresse; enquanto valores valores maiores que o máximo indicado aumentam a chance de doenças cardiovasculares e diabetes, por exemplo. Por isso, manter o controle do IMC pode evitar a chance de desenvolver a doença. Além disso, quem já encntra com um quadro da patologia deve ter mais cautela ainda. “Reduzir o peso ou evitar ganhos acima do que seria adequado ajuda a controlar os níveis glicêmicos, diminuindo as complicações que poderiam surgir”, pontua Luciana.

Fugir do excesso de açúcar e gordura

“Manter uma ingestão de alimentos compatível com a necessidade de cada um previne o surgimento de doenças crônicas , como o diabetes. Se ele já estiver instalado, o acompanhamento nutricional também é importante, porque ajudará a reduzir ou controlar a glicemia”, aponta a nutricionista Luciana. Além disso, evitar o consumo de alimentos ricos em açúcar e gordura é essencial para que a suplementação de insulina seja feita de forma correta. O excesso desses compostos está diretamente relacionado ao isco de obesidade aumentando a propensão a desenvolver o diabetes tipo 2.

Apostar nos carboidratos complexos

Apesar de serem açúcares, essa variedade se sobrassai por possuir um tempo de digestão maior. “Eles são aqueles ricos em fibras como cereais integrais, frutas, vegetais. Esse tipo do carboidrato promove uma metabolização mais lenta da glicose, evitando pico de hipeglicemia”, explica a nutricionista Mariana Diniz Costa. Além disso, as fibras são capazes de aumentar a sensação de saciedade; por consequência, o consumo de alimentos é menor durante o dia, ocasionando menos açúcar no sangue.

Não fumar nem beber

“O álcool e o fumo atrapalham o metabolismo dos carboidratos. A bebida, principalmente quando consumida em excesso, pode ser convertida em glicose, causando hiperglicemia. A redução dessas práticas contribui bastante para um melhor funcionamento do organismo”, observa Mariana. O prejuízo desses dois hábitos, no entanto, não para por aí. O álcool pode causar problemas no fígado, pâncreas, coração e cérebro, assim como aumenta a chance de câncer. O tabaco, por sua vez, também afeta o coração e aumenta a chance de câncer e doenças pulmonares.



SANTOS, Iuri. Melhores Seus Hábitos: Algumas Atitudes simples são capazes de beneficiar a relação do corpo com o açúcar. Plano Alimentar Diabetes. São Paulo: Alto Astral, a.1, n. 2. p. 8-9, 2018.


Comentários: 0

Sem comentários no momento =(

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado, fique tranquilo! *